Como melhorar a imunidade: Aposte no sono!

Atualizado: Mar 16

Melatonina, regulação do relógio biológico e imunidade


A palavra imunidade nunca esteve tão falada. Desde que o Covid-19 alcançou status de pandemia, surgiram muitas preocupações acerca de grupos de risco e medidas de proteção com relação à imunidade. Já se sabe que a falta de sono ou o sono ruim afetam a produção dos leucócitos - glóbulos brancos, nossas células de defesa. Isso acontece porque nosso corpo aproveita o período do sono para fabricar anticorpos e organizar a memória imunológica. Segundo um artigo muito interessante (referência abaixo), o nosso relógio biológico com o ciclo sono-vigília é responsável pela regulação dos parâmetros imunológicos como números de células de defesa, função, proliferação e produção de citocinas - que são proteínas protetoras do nosso sistema imune. Mas o que é o ciclo sono vigília? O ciclo sono vigília é a divisão do período em que estamos acordados, expostos à claridade e o período que estamos dormindo, no escuro. Essa marcação claro-escuro constitui uma forma do nosso organismo de regular a hora que liberamos determinados hormônios e a hora que paramos de liberá-los. Sabe-se que uma boa noite de sono para os adultos é aquela que dura cerca de 6 a 8 horas, porém a necessidade de sono vai variar de idade para idade, sendo que os idosos precisam dormir menos e os adolescentes mais. Dessa forma, dormir bem faz toda a diferença. Mas além de dormir bem, é preciso justamente regular o ciclo sono vigília. E quer saber um excelente aliado para regular seu relógio biológico? Melatonina! Segundo o que temos de evidências científicas, a melatonina é produzida principalmente pelo nosso organismo na glândula pineal, localizada no cérebro. Ela é liberada quando o ambiente começa a escurecer, marcando o período de preparo para o sono. A liberação de melatonina, portanto, prepara gradualmente o organismo para dormir, regulando o relógio biológico. No entanto, muitas pessoas, seja por excesso de exposição à luz, seja por trabalharem em períodos noturnos, podem ter seu relógio biológico e consequentemente o sistema imune desregulados. O uso da melatonina nessas situações tem demonstrado utilidade ao reverter alterações de sono principalmente decorrentes da perda do ciclo sono-vigília. Uma outra possibilidade de uso da melatonina é na insônia primária, ou seja, quando a pessoa tem dificuldade em pegar no sono. Estudos indicam que a melatonina administrada às 22 horas resultou em um avanço da fase do sono (redução do tempo para dormir) em cerca de 1 hora e meia. Além disso, como a qualidade do sono melhorou, houve redução na a duração do sono em cerca de 30 minutos. Com relação ao sistema imunológico, a correção de alterações de sono, como a falta dele, está relacionada com a melhora das funções gerais do sistema imunológico. É tudo o que queremos quando é preciso estar com a imunidade em alta! Quer saber mais? 1. Besedovsky L, Lange T, Born J. Sleep and immune function. Pflugers Arch. 2012;463(1):121-37. 2. Malhotra S, Sawhney G, Pandhi P. The therapeutic potential of melatonin: a review of the science. MedGenMed. 2004;6(2):46. 3. Carrillo-Vico A, Lardone PJ, Alvarez-Sanchez N, Rodriguez-Rodriguez A, Guerrero JM. Melatonin: buffering the immune system. Int J Mol Sci. 2013;14(4):8638-83.

20 visualizações0 comentário